top of page

Abandono das figuras parentais - reflexos nas relações amorosas e como melhorar segundo Jung

Abandono das figuras parentais - reflexos nas relações amorosas e como melhorar segundo Jung - Fabio Rocha


OBS.: Trato aqui de filhas e pais, porém podemos pensar no mesmo com o Édipo - filhos e mães.

Pontos em comum: Pai ausente (abandono) ou presente, porém muito severo, crítico, autoritário ou abusivo (negligência/omissão/descaso).


Sintomas em comum: Falta de autoconfiança, melancolia, depressão, compulsão à repetição* em relações românticas (Na falta da relação infantil com uma boa imagem masculina, tentam preencher essa lacuna afetiva infantil com parceiros que gerem submissão e dependência.)


Solução de Jung (através da terapia): Desenvolvimento dessa figura masculina que faltou no pai em si próprio, individuação. Maior equilíbrio psíquico entre as polaridades masculina e feminina. Não mais na repetição de relacionamentos românticos com figuras de abandono.


Como se dá a cura: ao invés de repetir nos relacionamentos, para "reviver" e curar a ferida emocional (tentativas inconscientes de cura), a repetição se dá através da fala na psicologia analítica.


* Compulsão à repetição é um fenômeno do psiquismo que se caracteriza pela tendência inconsciente de REPETIR algo que não foi bem resolvido, tentando reintegrar um elemento alheio em que o indivíduo ficou fixado.

Comentários


bottom of page